Minerais Catalíticos: faísca que acende a chama de cura (Parte 2)

Segunda parte de um artigo muito interessante enviado pelo nosso colega Prof. Paulo Edson Reis Jacob Neto

Não leu ainda a primeira parte? Não se preocupe, clique aqui e confira a primeira parte dessa matéria.

Vamos agora ao que interessa…
(Esta parte ficou um pouco mais extensa que a primeira, mas vale a pena o conhecimento).

Qualquer dúvida, coloque nos comentários abaixo.

Assimilação dos oligoelementos

Significa metabolizar até o estado mais íntimo de nosso organismo, integrar as substancias ativas, os oligoelementos nos centros ativos do nosso organismo, vencendo as barreiras das células· A ionização evita todo o tramite que o alimento tem que passar parar chegar até o seu destino. É mais eficiente e o mais rápido

Propriedades:

Funcional e/ou estrutural,

Restabelecer o equilíbrio bioquímico,

Acelera a velocidade das reações metabólicas,

Catalisa reações bioquímicas do organismo,

Equilibra as deficiências minerais,

Não há toxicidade.

CÁLCIO (Ca)

No organismo há mais cálcio do que qualquer outro mineral. O cálcio e o fósforo trabalham juntos pra produzir ossos e dentes saudáveis. O cálcio e o magnésio atuam em conjunto para manter a saúde cardiovascular. Quase todo o cálcio do organismo (1kg a 1 1/2Kg) se encontram nos ossos e dentes 20% do cálcio nos ossos de uma pessoa adulta é reabsorvido e substituído todos os anos (forma-se novas células nos ossos quando as velhas se desintegram). Para que o cálcio seja absorvido, precisamos possuir em nosso organismo vitamina D É essencial durante a fase de crescimento, lactação do o e gravidez. É também co- fator das enzimas presentes na cascata de coagulação, com amplo espectro de ação no aparelho músculo-esquelético. Indicado para problemas ósseos: raquitismo, dificuldade de formação de calo ósseo, osteoporose, descalcificação, distensão. Problemas neuromusculares: formigamentos, entumecimentos (inchaços), contrações musculares, cãibras, espasmofilia, perda de impulsos nervosos, angústia, agressividade, insônia e dores de cabeça. Atonia biliar, varizes, hemorróidas, arritmia, taquicardia, infarto, fibromas.

Fontes naturais: Leite e laticínios, todos os queijos, soja, sardinha, salmão, merluza, linguado, amendoim, nozes, sementes de girassol, feijão, alcachofra, acelga, chicória, couve, vagem, espinafre, nabo, germe de trigo.

COBALTO (Co)

Mineral que faz parte da vitamina B12. Geralmente mede-se em microgramas. Indispensável para as células vermelhas do sangue. Deve ser obtido dos alimentos. Vasodilatador, é um antagonista da adrenalina, que regula o sistema neurovegetativo simpático e parassimpático. Atua em todos os estados espasmódicos, espasmo arterial, arterites dos membros inferiores, acrocianose, hipertensão (atuando no fator nervoso), dores de cabeça, palpitações, angústia, bloqueios digestivos. É hipoglicemiante e, associado ao níquel e ao zinco, atua em transtornos hepatopancreáticos. Como parte integrante da vitamina B12, coenzima de numerosas reações biológicas, intervém principalmente nos seguintes processos: metabolismo do ferro e hematopoiese, síntese de timidina que compõem o DNA, síntese de colina e da metionina. É indicado também nos distúrbios psíquicos do tipo ansioso.

Fontes naturais: Carne, rim, fígado, leite, ostra, mexilhões, gema e ovo, grãos.

COBRE (Cu)

É necessário para converter o ferro do organismo em hemoglobina. Pode chegar à corrente sanguinea quinze minutos após a ingestão. Permite a utilização do aminoácido tirosina, fazendo com que ele funcione como fator de pigmentação para cabelo e a pele. Indispensável para a utilização da vitamina C. O cobre é um dos principais catalisadores biológicos. É considerado o elemento que dá energia para o organismo defender-se. É indicado em todos os estados infecciosos agudos ou crônicos, gripes, resfriados, astenia, anorexia, anemia, atrasos de crescimento, diarreia crônica, processos inflamatórios, poliartrites, reumatismo, cardiopatias reumáticas, arteriosclerose, isquemia, convulsões, dificuldades psicomotoras, mal de Parkinson, problemas cutâneos, vitiligo, atraso na cicatrização, enfermidades de degeneração, câncer, senescência. Do ponto de vista endócrino, o cobre restabelece o normal funcionamento da tiróide, da hipófise e das glândulas genitais.

Fontes naturais: Fava, feijão ervilha, cereais integrais, ameixa, fígado de vitelo, e de boi, camarão e a maioria dos frutos do mar, vegetais verdes, gema de ovo, uvas passas orégano.

CROMO (Cr)

Funciona com a insulina no metabolismo do açúcar. Ajuda a levar as proteínas aos lugares onde são necessárias.

A medida que você envelhece, retém menos cromo em seu organismo. Favorece o metabolismo da glicose, aumentando a eficácia da insulina e estimulando a síntese dos ácidos graxos, contribuindo assim para a redução do processo arteriosclerótico. Atua no metabolismo dos ácidos nucléicos, especialmente mantendo a integridade dos mesmos.

Fontes naturais: Carnes, mariscos, galinha, óleo de milho, mexilhão, levedo de cerveja, açúcar mascavo, algas, cogumelos.

ENXOFRE (S)

É indispensável para manter a saudável o cabelo, pele e unhas. Ajuda a manter o equilíbrio do oxigênio necessário para o bom funcionamento do cérebro. Trabalha com as vitaminas do complexo B no metabolismo basal do corpo e entra na composição dos aminoácidos que constroem os tecidos do organismo. Auxilia o fígado na secreção da bile. Esta substância simples constitui parte ativa de um grande número de compostos fisiologicamente importantes. Existe no organismo, por exemplo, na forma de ácido glutâmico, indispensável aos músculos, tecido nervoso e diretamente utilizável pelo tecido cerebral. Graças a ele, o fígado exerce o seu papel de desintoxicante. Tem ação dessensibilizante, sendo indicado em problemas alérgicos: asma, dermatite, eczema, urticária, prurido, dores de cabeça, disfunções hepato-biliares, artrites, artrose e reumatismos em geral. Problemas de metabolização do enxofre dão lugar a problemas do tecido epitelial: pele seborréica, acne, furunculose, hiperqueratinose, unhas e cabelos quebradiços, queda de cabelos, intoxicações por metais pesados, além de problemas circulatórios devido ao aumento da pressão sangüínea e do ritmo cardíaco, o que favorece a arteriosclerose.

Fontes naturais: carne magra, feijão, peixe, ovo, repolho, pepino, alface, beterraba, alho, abacaxi, erva-doce, brócolis.

FERRO (Fe)

Indispensável para a vida, necessário para a formação de hemoglobina, mioblobina e certas enzimas. Apenas 8% do ferro ingerido absorvido e entra na corrente sanguinea. O adulto médio com 70 kg, tem cerca de 4g de ferro em seu organismo. A maior parte do ferro esta na hemoglobina, sendo reciclado e utilizado na medida em que as células sanguíneas são substituídas, a cada 120 dias. Em um mês as mulheres perdem duas vezes mais ferro que os homens. Para a assimilação do ferro é necessário as presenças do cobre, cobalto, manganês e da vitamina C. O ferro é necessário para a devida metabolização da vitamina B.O que ele pode fazer por você: Ajudar no crescimento. Promover à resistência as enfermidades. Evitar a fadiga. Curar ou evitar a anemia causada pela deficiência de ferro. Devolver a boa tonalidade da pele.

Fontes naturais: Fígado de porco, rim, coração, fígado de boi, fécula de batata, mariscos crus, pêssego seco, carne mal passada, gema de ovo, ostra, nozes, feijão, aspargo, melado, aveia, acelga, beterraba, abacaxi, damasco, kiwi, morango, uva, espinafre, erva-doce.

FÓSFORO (P)

Está presente em cada célula do corpo. A vitamina D e o cálcio são indispensáveis para que o fósforo funcione adequadamente. O cálcio e o fósforo devem estar corretamente equilibrados na proporção de dois para um (2 Ca – 1 P). Está presente em quase todas as reações químicas fisiológicas. É necessário para a boa estrutura óssea e dental. É importante para a regularidade do coração. É indispensável para o funcionamento normal dos rins. É necessário para a transferência dos impulsos nervosos. A carência de fósforo pode levar à fadiga física e nervosa, atonia muscular (que pode resultar em parada respiratória se a carência for muito grande e prolongada), anemia ou sensibilidade crescente às infecções. No caso de insuficiência de fósforo, os ossos se tornam porosos, os músculos débeis e dolorosos. A carência deste elemento pode manifestar-se por lesões que podem terminar em osteomalácia. Indicado nos casos de: artrose, osteoporose, espasmofilia, espasmos respiratórios, tetania, cãibras musculares, Dupuytren, miastenia, fadiga psíquica e intelectual, disfunções paratiroideas e esclerodermias.

Fontes naturais: peixe, galinha, carne, cereais integrais, ovo, nozes, semente, kiwi, abacaxi, pêra, cenoura, vagem.

IODO (I)

Dois terços do iodo do corpo estão ligados a tireóide. Como a glândula tireóide controla o metabolismo e como o iodo influencia a tireóide, um suprimento insuficiente desse mineral pode resultar em lentidão das reações mentais, excesso de peso e falta de energia. Está presente em grande quantidade na tiróide, cuja fixação se faz sob a ação de um grupo de enzimas muito ativas, as peroxidases. O iodo é um elemento muito específico em sua localização e função – seu metabolismo tem lugar exclusivamente na tireóide. Esta glândula regula a formação de hormônios iodados que ativam o metabolismo dos lipídeos, carboidratos, estimulam o crescimento, controla o metabolismo cálcico-ósseo, o conjunto de glândulas endócrinas, o funcionamento neuromuscular, o tônus cardíaco e a hematopoiese. É indicado nos casos de: hipertiroidismo, hipertensão, variações de pressão, excitação, nervosismo, hipermenorréias, hipotiroidismo, hipotensão, hipomenorréias, obesidade, arteriosclerose, reumatismo, artrites, artritismo e degeneração.

Fontes naturais: Algas, vegetais provenientes de solo rico em iodo, cebola, todos os frutos do mar, sal marinho, brócolis, repolho, couve-flor, couve.

LITIO (Li)

Regulador da permeabilidade da membrana neuronal (neurônios centrais). É indicado nos casos de nervosismo, irritabilidade, ansiedade crônica, estados depressivos menores, perturbação do sono, desmame de ansiolíticos. Possui ação diurética e propriedade de drenagem sendo recomendado nos casos de retenção hídrica, na obesidade, na celulite e na hipertensão. Regula os transtornos neurovegetativos, em especial os da menopausa, assim como os circulatórios e nervosos. Ação uratolítica.

Fontes naturais: Alface, agrião, algas marinhas, água mineral e manjerona.

MAGNÉSIO (Mg)

É necessário para o metabolismo do cálcio, da vitamina C, do fósforo, do sódio e do potássio. É indispensável para o funcionamento eficaz dos nervos e dos músculos. É importante para converter o açúcar do sangue em energia. É conhecido como o mineral anti-stress, que combate a tensão nervosa. Como o potássio, o magnésio é um ativo presente, sobretudo no líquido intracelular, especialmente nas células dos ossos e tecidos moles. Os órgãos nervosos mais ricos em magnésio são o córtex, a substância branca do cérebro, o cerebelo e a medula espinhal. A concentração de magnésio no tecido ósseo depende da sua concentração no sangue ou, mais exatamente, no plasma. São conhecidas mais de 500 ações catalíticas do magnésio. As principais: é reequilibrante do sistema nervoso (sem ele não se pode ativar a vitamina B1, específica deste sistema). Sua carência no sistema nervoso pode provocar insônia, tetania, tremores convulsões e espasmofilia, epilepsia, neurites, neuralgia. Previne o envelhecimento geral, da pele, cabelos e unhas. Permite a síntese de ácidos nucléicos e proteínas. Desempenha papel antialérgico, antiinflamatório e antiestresse. Transtornos endócrinos (hiper e hipo) tiroidismo, (hiper e hipo) paratiroidismo, pancreatite, diabetes, dismenorréia. Problemas gastrointestinais, espasmos colíticos, diarreias, afecções hepáticas crônicas.

Fontes naturais: Carne branca, soja, figo, limão, pomelo (grapefruit), milho amarelo, amêndoa, nozes, sementes, verduras, maçã.

MANGANÊS (Mn)

Ajuda a ativar as enzimas necessárias para que o organismo use devidamente a biotina, a vitamina B1 e a vitamina C. É necessário para a boa estrutura óssea. É importante na formação da tiroxina, o principal hormônio da tireóide. É necessário para a boa digestão e a utilização dos alimentos. É importante para a reprodução e para o funcionamento normal do sistema nervoso central. Está essencialmente concentrado nos ossos, no fígado, no pâncreas e, em menor quantidade, no sangue e músculos. É indispensável ao crescimento e ao tônus muscular, à vitalidade do indivíduo, à atividade dos ovários e dos testículos, à formação de muitas enzimas, hormônios e proteínas. A sua atividade catalítica é indispensável para importantes funções vitais. A carência em manganês determina atrofia testicular, esterilidades e diminuição da taxa de algumas enzimas, tais como a arginase hepática e a fosfatase alcalina. Em 1946 Skinner e Mac Hargne demonstraram a função do manganês na síntese da hemoglobina. É conhecido como o antialérgico universal, indicado nos casos de asma, erupções, nevralgias e enxaquecas. É contra-indicado em casos de tuberculose.

Fontes naturais: Nozes, ervilha, verduras, nabo, gema de ovo, cereais integrais, feijão, pepino, pimentão, beterraba, aveia.

NÍQUEL (Ni)

Biocatalisador oxido – redutor com fator enzimático múltiplo (fosfatases), atua especialmente no pâncreas. Indicado para casos de obesidade, celulite e disfunções hepato-bilio- pancreáticas.

POTASSIO (K)

Associado ao sódio, regula o equilíbrio da água no organismo e normaliza o ritmo do coração (o potássio trabalha dentro das células e o sódio na parte externa). As funções dos nervos e músculos ficam comprometidas quando há desequilíbrio entre o sódio e o potássio. A hipoglicemia provoca perda de potássio, assim como ocorre um jejum prolongado ou numa diarreia grave. A tensão, tanto mental como física, pode provocara deficiência de potássio. Como o magnésio, o potássio é um ativo presente, sobretudo no líquido intracelular, especialmente nas células dos ossos e tecidos moles. É indicado nos casos de transtornos cardíacos, arritmia, taquicardia, fibrilação ventricular, hipertensão, hipotonia, miastenia, retenção de água, obesidade, celulite, reumatismo, artrose. Utilizado para algias reumáticas.

Fontes naturais: frutas cítricas, melão, tomate, agrião, verduras, hortelã, semente de girassol, banana, batata, lentilha, couve, banana, sardinha, morango, cenoura, iogurte, pêssego, chicória, abacate, mamão, melão, alcachofra, alho poro, vagem limão, melancia, uva.

SELÊNIO (Se)

Vitamina E e selênio são sinérgicos. Isso significa que o uso dos dois juntos é mais eficaz do que a soma dos efeitos de cada um separadamente. Ambos são antioxidantes e evita – ou pelo menos reduz – o envelhecimento e o endurecimento dos tecidos pela oxidação. Parece que os homens precisam mais de selênio. Quase metade do suprimento esta concentrado nos testículos e em partes do ducto seminal adjacente à próstata. Eles também perdem selênio ao expelir o sêmen. Estimula todas as trocas. Aumenta a urina, a excreção de uréia, de ácido úrico e de outros resíduos metabólicos. É indicado nos casos de afecções das vias respiratórias aéreas ou profundas, na impotência, frigidez e esterilidade. Antimicótico, pode ser usado no tratamento da acne associado ao enxofre.

Fontes naturais: peixe, frutos do mar, clara de ovo, folhas verdes, óleo de milho, germe de trigo, farelo, atum, cebola, tomate, brócolis, salsa, cebolinha, manjericão, alecrim.

SILÍCIO (Si)

Essencial na reconstituição óssea e cutânea. Previne o envelhecimento. É indicado para o desenvolvimento dos jovens, equilíbrio do sistema nervoso, deficiência intelectual, verrugas, osteítes e adenopatias. Participa da biossíntese dos tecidos ósseos, da pele, unhas e cabelos. Possui ação cicatrizante e é considerado um estabilizador geral.

Fontes naturais: alho, cebolinha, salsa, alface, algas marinhas, alecrim, erva-doce e estragão.

ZINCO (Zn)

Age como policial de transito, dirigindo e supervisionando o fluxo dos processos físicos, além da manutenção do sistema enzimático e das células. É indispensável para a síntese das proteínas. Dirige a contractibilidade dos músculos. Auxilia na formação da insulina. Importante para a estabilidade sanguinea e para manter o equilíbrio ácido-básico do organismo. Exerce efeito normalizador sobre a próstata e é importante no desenvolvimento de todos os órgãos reprodutivos. Estudos mostram a importância para o funcionamento do cérebro e para o tratamento da esquizofrenia. O excesso de transpiração pode provocar perdas que chegam a 3 mg de zinco por dia. Quase todo o zinco presente nos alimentos é perdido no processo de cozimento, ou então nem chega a existir em quantidades apreciáveis por causa do solo pobre em nutrientes. Acelera a cicatrização de ferimentos internos e externosn elimina as manchas brancas das unhas, ajuda no restabelecer do paladar, ajuda a evitar problemas de próstata, promover o crescimento e a acuidade mental e auxilia na diminuição dos depósitos de colesterol, ajuda no tratamento dos distúrbios mentais

Regulador específico das funções da hipófise. É uma coenzima importante e um ativador das funções genitais e das glândulas endócrinas. É indicado nas astenias, atrasos de crescimento, insuficiência hipofisária, hipermenorréia e impotência, menopausa, perturbações do equilíbrio nervoso, psoríase e certos distúrbios hepatopancreáticos. É contra-indicado em casos de tuberculose e neoplasmas (câncer).

Fontes naturais: bife, costeleta de carneiro, lombo de porco, germe de trigo, levedo de cerveja, semente de abóbora, ovo, leite desidratado não-gorduroso, mostarda em pó, melancia, melão, banana, pêssego, tangerina, couve

Dicas: Quando se usa grande quantidade de vitamina B6, (piridoxina favorece a respiração das células e ajuda no metabolismo das proteínas) o consumo de zinco deve ser maior. O mesmo ocorre com alcoólatras e diabéticos. Recomenda-se alto nível de zinco aos homens – principalmente os que tenham problemas de próstata. Pessoas idosas preocupadas com a senilidade podem beneficiar-se com um suplemento contendo zinco e magnésio. Menstruação irregular pode utilizar suplemento de zinco antes de recorrer ao tratamento com hormônio.

FLÚOR (F)

É parte do composto sintético fluoreto de sódio (que se adiciona a água potável). Diminui as cáries dentárias, embora em excesso possa descolorir os dentes. Oligoelemento biocatalítico dos casos ósseos, da osteoporose, do raquitismo e da hiperlaxidão ligamentar. É indicado na profilaxia da cárie dentária e nas manifestações de atrasos de calcificação, distúrbios da estática vertical da criança e do adolescente, além das patologias osteoarticulares.

Fontes naturais: Água fluorada, frutos do mar, gelatina.

COBRE-MAGNÉSIO (Cu-Mg)

A idéia de desenvolver este policatalisador e demonstrar o seu valor terapêutico deve-se a Menetrièr. As afinidades químicas e a concordância das suas propriedades especiais (onde se faz uma aplicação direta da física quântica), conduzem a um estudo bastante teórico da sua vasta aplicação terapêutica. É indicado em todas as perdas de vitalidade, obsessão mórbida e má defesa contra estados infecciosos. Anérgico.

MANGANÊS-COBALTO (Mn-Co)

É, por excelência, o catalisador das perturbações circulatórias periféricas e coronárias. É indicado nos casos de neurodistonia digestiva, cardiovascular, perturbações neuro-hormonais da menopausa, estados espasmofílicos, artrose, osteoporose e ansiedade crônica, freqüentemente acompanhada de perturbações do sono.

MANGANÊS-COBRE (Mn-Cu)

Sinergia útil à regeneração de aparelhos respiratórios delicados. Usado para combater as pleuresias, bronquites, asmas, rinites e corizas, além de estados infecciosos de repetição, dismenorreias, perturbações duodenais e colites esquerdas.

ZINCO-COBRE (Zn-Cu)

Indicado nos casos de acne, queda de cabelo, frigidez, impotência sexual e distúrbios da puberdade.ZINCO-CROMO (Zn-Cr). Possui propriedades análogas às do Zinco-Cobre sobre o sistema endócrino, porém, ao invés de atuar na esfera genital, regula as funções hipofisopancreáticas. Sua principal indicação corresponde a uma síndrome precisa e relativamente frequente de desregulação da glicemia. Indicado nos casos de obesidade, astenias cíclicas antes ou pós-refeições, baixa vitalidade pré-prandial e/ou sonolência pós-prandial, fome violenta e irresistível, vontade permanente de comer, desejo compulsivo por doces.

Fonte: Prof. Paulo Edson Reis Jacob Neto


Espero que tenham gostado, qualquer dúvida poste nos comentários abaixo.

Em breve postaremos a continuação desse artigo.

Você é um profissional da área de Ortomolecular ou terapias holísticas? Tem artigos com conteúdo interessante e deseja divulgar essas informações?
Entre em contato: portal@terapiaortomolecular.net